SE CAIR DISPARA!!

Os manuais das novas pistolas da TAURUS agora vem explicando que se cair ao chão pode disparar.

O fabricante sempre negou que suas pistolas podiam cair e disparar, mas em julho de 2016 a Forjas Taurus colocou esta informação nos manuais de suas armas e agora as novas pistolas também trazem está informação. O interessante é que nos manuais da armas vendidas nos EUA está informação já existia.

 Você que trabalha com uma pistola da Taurus na cintura, você está seguro?!

MAIS UMA PT 24/7 TAURUS DISPARA MESMO TRAVADA

​Mais uma arma da Forja Taurus que dispara sozinha. É com esse tipo de arma que os policiais do Brasil são obrigados a trabalhar, graças ao monopólio das armas de fogo no Brasil, que é institucionalizado pelo Exército Brasileiro, pois é o Exército que insiste em dizer que uma arma da Taurus é igual a uma CZ, Colt, S&W, Glock, Sig e outras mundialmente renomadas marcas de armas.

TAURUS É PROIBIDA DE VENDER PARA A MAIOR POLÍCIA DO BRASIL 

​A Forjas Taurus foi proibida de participar de licitações da Polícia Militar de São Paulo e o TCU incluiu o nome da empresa no cadastro das empresas inidôneas e, portanto, ela não pode licitar com qualquer órgão público de São Paulo até outubro de 2018.

Clique aí para acessar:

www.portaldatransparencia.gov.br

Mais um passo importante para a quebra do monopólio das armas de fogo no Brasil.

DELEGADO DO RIO DE JANEIRO FALA VERDADES SOBRE O LOBBY DAS ARMAS NO BRASIL 

Um jornal do SBT estava mostrando uma operação policial onde um operador tem que sacar um alicate e fazer reparos em seu fuzil em pleno tiroteio para que ele volte a funcionar. Aí que entra o Delegado Marcus Amim relatando a problemática que afeta os policiais de todo país que é o monopólio das armas de fogo, que é institucionalizado pelo Exército Brasileiro e esquecido pelo Congresso Nacional. Veja o vídeo que ele fala por si.

Há alguns dias falamos sobre a real história sobre os fuzis no Brasil em outra publicação A VERDADE SOBRE OS FUZIS BRASILEIROS!! E ficou claro o resultado nefasto do monopólio das armas e quem sao as maiores vítimas, os polícias de todo Brasil.

LAUDO CONFIRMA QUE 24/7 DISPARA EM QUEDA

​Laudo do Instituto de Criminalistica do Distrito Federal, feito em decorrência de de testes de queda da pistola 24/7, comprovou o disparo por queda. A foto abaixo faz parte do Laudo Pericial oficial e mostra o momento exato da queda com detalhe do gatilho sendo acionado.

Este teste foi feito na PT 24/7 POLICE de um Policial Civil de Brasília, Luciano Vieira, que no dia 08/11/2011, foi baleado no peito quando sua arma caiu ao solo e disparou, atingindo e perfurando o pulmão e saindo nas suas costas. Ele ficou internado 15 dias na UTI e hoje além do trauma psicológico carrega dores imensuráveis.

Após cinco anos fazendo diversas testes, os peritos chegaram a conclusão que a sua arma quando submetida aos testes de queda disparou por diversas vezes.

A vitima nos relata que “a arma não apresentava desgastes ou qualquer outra falha mas mesmo assim em 4 quedas ocorreu 3 disparos”.

O Sindicato dos Policiais Civis do Distrito Federal também fez uma matéria sobre o resultado do Laudo e falou mais – Novo laudo da PCDF aponta defeito em armas da Taurus – veja:

INQUÉRITO CIVIL

Há relatos de todas as partes do Brasil sobre acidentes – alguns fatais – ocasionados por disparos acidentais de armas da Taurus, empresa que detém o monopólio nacional.

Um dos diretores do Sinpol-DF, o agente de polícia Luciano Vieira, foi vítima: ele estava no apartamento onde mora quando a pistola caiu no chão. A queda acionou a arma, que o atingiu na região do tórax. A bala atravessou o corpo de Luciano e ficou alojada no ombro.

O Sinpol-DF tem denunciado o problema há mais de um e levou o caso ao Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) em maio do ano passado. Em junho, o órgão instaurou uminquérito civil para apurar os fatos por meio do Núcleo de Investigação e Controle Externo da Atividade Policial (NCAP).

Em outubro, uma ação civil pública também do MPDFT recomendou que a PCDF substituísse o armamento, mas, até o momento, o Sinpol-DF não tomou conhecimento ou foi informado sobre qual providência foi adotada pela instituição para atender à recomendação do Ministério Público.

“Os policiais civis estão temendo trabalhar com essa arma. Muitos gostariam de substituí-la, mas a Polícia Civil não possui outro tipo de armamento. Os policiais civis já trabalham com a ideia de fazer uma entrega coletiva dessas armas”, informa o presidente do Sinpol-DF, Rodrigo Franco “Gaúcho”.

Fica então o questionamento, o que a TAURUS irá fazer com as inúmeras vítimas de suas armas defeituosas?

VÍTIMAS DAS PRÓPRIAS ARMAS: A TRÁGICA POLÊMICA QUE DIVIDE POLICIAIS E FABRICANTE

Esta foi a matéria que a BBC Brasil fez sobre a triste saga que envolve o nome da Forjas Taurus em vários acidentes e mortes de policiais.

A BBC é uma das maiores e mais bem conceituadas empresas de comunicação do mundo e fazendo jus ao seu nome, fez uma matéria investigativa que foi a fundo nas tramas que envolvem a Taurus. Esta é a matéria, é só clicar e ter acesso a grande parte dos fatos que a própria empresa não quer falar ou diz que não tem nada haver. Vítimas das próprias armas: A trágica polêmica que divide policiais e fabricante.

A verdade sobre o monopólio das armas de fogo no Brasil está aí, basta pesquisar. Infelizmente nada de efetivo está sendo feito, mas não desistimos desta luta, pois pessoas estão sendo feridas, aleijadas e mortas. Cuidado, você pode ser a próxima VÍTIMA DA TAURUS!

NOVAS VÍTIMAS DA TAURUS A CADA DIA!!

Estes são alguns dos depoimentos que recebemos em nosso Blog VÍTIMAS DA TAURUS, veja:


E temos vários outros casos relatados de policiais que se feriram e que são pressionados em suas corporações para não acionarem a Taurus na justiça ou que desistem por medo de serem ridicularizados, pois as perícias nacionais não conseguem apontar as causas dos acidentes e falhas.

São várias pessoas por todo Brasil e o Congresso Nacional diz que os problemas nas armas da Taurus não tem abrangência nacional!

Infelizmente nossos policiais são obrigados a trabalhar com essas armas enquanto o monopólio das armas, institucionalizado pelo Exército Brasileiro, persistir em nosso país.