MAIS UMA VITÓRIA CONTRA O MONOPÓLIO DAS ARMAS DE FOGO NO BRASIL!

A Polícia Civil do Distrito Federal acaba de receber 200 pistolas, calibre. 40S&W, da famosa fábrica austríaca de pistolas, a Glock.

Há alguns meses fizemos a publicação da compra das pistolas e agora elas foram entregues a Corporação policial. Só pra lembrar, as pistolas da Glock são mundialmente bem afamadas e usadas por várias forças policiais de todo mundo, além de serem mais baratas que as pistolas da Taurus!! Veja PCDF COMPRA PISTOLAS GLOCK.

Então será porque que ainda compram armas da Taurus para as forças policiais?! Por causa do monopólio da Taurus, institucionalizado pelo Exército Brasileiro. Simples!

POLÍCIA LEGISLATIVA DA CÂMARA DOS DEPUTADOS COMPRA PISTOLAS GLOCK

Atualmente temos no Brasil apenas duas fábricas de armas, a IMBEL e a Taurus. A IMBEL não tem interesse e nem da conta de atender a demanda reprimida do mercado nacional, assim sobra apenas a Taurus para suprir nosso mercado.

A legislação nacional proibi que se importe armas se houver modelo semelhante no mercado interno e também por ser um tipo de importação considerada como “estratégica” pelo Exército Brasileiro. Juntando tudo isso está firmado o monopólio institucionalizado da Taurus.

Mas aos poucos algumas polícias conseguem fugir das imposições do Exército Brasileiro e do Lobby poderoso da Taurus e adquirem para seus agentes armas de outros fabricantes. Assim fez a Polícia Federal, a Polícia Militar do RJ e MS e agora a Polícia Legislativa da Câmara dos Deputados Federais, no Congresso nacional. 

A Polícia Legislativa da Câmara adquiriu pistolas Glock G22 e G23 Geração 4, para servir de arma padrão de seus agentes pelo valor 2.600 e 2.700 reais. Isto é, eles compraram armas melhores e mais baratas que as armas nacionais.

Os agentes estão recebendo treinamento para manusear e portar as pistolas, para então elas poderem ser usadas. 

É uma policia com atuação bem pontual e com poucos agentes, mas é mais um passo importante na luta contra o monopólio das armas no Brasil e na luta para adquirir armas de qualidade para todos os policiais de nosso país. 

E segue a luta das VÍTIMAS DA TAURUS!

​PC DE SERGIPE COMPRA PISTOLAS GLOCK – DIGA NÃO AO MONOPÓLIO 

“Aquisição de armas pela SSP/SE. Publicado em Diário Oficial de hoje, dia 8 de setembro de 2016, a Síntese de Inexigibilidade de Licitação nº 002/2016, sob o Processo nº 022.000.02209/2016-1, com o Objeto de Aquisição de Pistolas GLOCK 22 Gen4, “Safe Action”, calibre .40S&W, para atender a Polícia Civil é um avanço incomensurável para o desempenho da atividade policial. 

Essa aquisição representa uma luta antiga das polícias brasileiras, tanto as federais quanto as estaduais. Parabéns a Polícia Civil, conquista importantíssima.

O fato que nos causou estranheza é a aquisição ser única e exclusivamente feita para a Polícia Civil, pois é sabido por todos a importância da utilização do citado armamento por ambas as instituições policiais, mormente a Polícia Militar, presente em todos os municípios sergipanos, 24 horas por dia, independente da crise financeira que assola o nosso Estado e o nosso país. Esperemos que a SSP mostre agora qual a real importância da polícia ostensiva, responsável pela preservação da ordem pública.

Henrique Alves da ROCHA – Cel PM”

Está mensagem veio por WhatsApp mas mostra a luta das forças policiais do Brasil para tentar quebrar o monopólio institucionalizado pelo Exército Brasileiro, e conseguir comprar armas de qualidade, que não sejam da Forjas Taurus.

POLICIAL CIVIL MORRE POR CAUSA DE PANE EM UMA PISTOLA DA TAURUS

Essa notícia foi veiculada na internet amplamente, mas decidimos falar sobre o fato, pois foi um colega de serviço desse Policial Civil de São Paulo que nos enviou as informações do fato, relatando também a dor de perder mais um amigo morto por um bandido, mas desta vez somado à revolta de ter a morte acontecido por causa de uma pane na arma do policial, uma pistola Taurus PT 940, que apresentou problemas durante o enfrentamento com o bandido.


No dia 04 de abril deste ano, O Investigador Renan Stefano Bellini, 28 anos, estava de férias com sua noiva no litoral paulista, na cidade de São Sebastião, quando ao chegar em sua casa por volta das 5 horas da manhã, percebeu a presença de criminosos, quando efetuou um disparo no tórax do primeiro bandido, mas sua pistola parou de funcionar por causa de uma pane de chaminé logo no segundo disparo, momento em que o bandido alvejou o Investigador.

Pistola PT940 do Investigador em pane.

Daniel Bitar, amigo pessoal da vítima (da Taurus e do bandido) nos relata que o bandido ainda pegou a arma do policial civil após baleá-lo e conseguiu até correr, mas logo à frente caiu morto. Os outros dois comparsas do bandidos também fugiram.

Outra imagem da pistola PT940 do Investigador em pane.

Com certeza se a pistola Taurus não tivesse falhado em um momento tão crucial como o relatado o Investigador Renan ainda estaria vivo e com glórias, pois teria mandado para os braços do cão mais um ladrão. Mas isso não aconteceu, a Taurus matou mais um operador de segurança.

A pergunta que temos que fazer é porque as polícias ainda compram pistolas da Taurus, se elas são de péssima qualidade?

Pistola Glock, mundialmente renomadas para a atividade policial.

Sabemos que por força legal – Lei 10.826/2003, as polícias só podem comprar armas para seus agentes se não houver no mercado nacional outra arma similar. Isto é, segundo a lei e segundo o Exército Brasileiro, pois é ele quem autoriza ou não a compra de armas de fogo, não podemos comprar uma Glock por exemplo, pois existe uma arma nacional semelhante. Nesse caso eles se referem a outra arma de polímero, hammerless, com sistema de percussor lançado, que para eles seria uma pistola da Taurus, tipo a 24/7.

Venhamos e convenhamos, mesmo que a 24/7 seja “semelhante” a uma Glock, nunca será uma Glock ou uma CZ. Segurança, qualidade, fabricação, matéria prima, projeto e tudo mais de várias marcas importadas são extremamente melhores que as Taurus fabricadas no Brasil.

CZ DUTY, uma pistola de um dos melhores dabrucantes de armas do mundo, projetada para a atividade policial.

Enquanto fabricantes de armas de outros países não entrarem no Brasil, as fábricas nacionais nuncam serão obrigadas a melhorarem seus produtos. Enquanto isso pessoas continuam se ferindo e morrendo com as pistolas da Taurus.

Se você conhece alguma pessoa que foi vítima de disparo acidental de armas da Taurus, entre em contato conosco em nosso e-mail – acidentetaurus@gmail.com -. Estamos reunindo pessoas que foram vítimas de disparos para juntos mobilizarmos e fazermos justiça contra os desmandos da Taurus!!!

VÍTIMAS DA TAURUS

Olá, 

Somos um grupo de pessoas, vítimas de disparo acidental por quedas, sem o acionamento do gatilho, de armas (pistolas) fabricadas pela empresa FORJAS TAURUS S.A.

Não somos ligados a nenhuma outra empresa ou fabricante de armas, não somos financiados por qualquer grupo que tenha interesse em prejudicar ou promover retaliações à mencionada empresa. 

Somos consumidores/usuários ou familiares destes, que tiveram algum tipo de acidente por queda, sem o acionamento do gatilho ou qualquer interferência externa, que pudesse ocasionar o disparo acidental do armamento.

Nosso objetivo principal é reunir o máximo de pessoas ou familiares de vítimas das pistolas TAURUS para que juntos possamos provar aos órgãos competentes que os defeitos de fabricação das pistolas TAURUS, que já acarretaram vários acidentes pelo Brasil, e, muitos deles, com vítimas fatais.

Dos casos que tivemos notícias e com todas as provas obtidas durante o processo, notamos qua maioria dos disparos acidentais ocorreram por queda da pistola, que, com o impacto ao solo, dispararam, sem ejetar o cartucho e que nos testes periciais baseados nos modelos tradicionais, os laboratórios de balística dos institutos de criminalística não constataram o defeito existente nas pistolas, mas os laudos periciais apontam claramente para o disparo acidental ocasionado por queda da pistola.

Este fato se deve principalmente pelo modo de como é conduzido o teste nos institutos de criminalística (civil ou militar) dos estados brasileiros. O teste basicamente utiliza-se de uma placa de borracha off-shorecom uma dureza específica, onde a arma é carregada com um cartucho espoletado e uma queda em ângulo reto é simulada. 

Em todos os exames analisados, talvez mais de 10, os testes não reproduziram a situação real do disparo, comotipo real de piso, angulação da queda, posicionamento do cartucho original dentro da câmara do armamento e até a altura real da queda. Por este motivo os testes, mesmo realizados em institutos conceituados, não conseguem chegar a um relato conclusivo sobre o grave defeito nos armamentos TAURUS.

No entanto, até o momento, todas as provas juntadas, ocorrências, inquéritos abertos, testemunhas ouvidas e fatos divulgados pela mídia, indicam exatamente o contrário: que muitas pistolas fabricadas pela empresa TAURUS disparam ao cair se estiverem municiadas, além de outros defeitos. A própria empresa TAURUS admite esse incidente em seus manuais publicados em língua estrangeira, dizendo que em caso de queda com a arma carregada pode acontecer um disparo acidental sem o acionamento do gatilho.

Para comprovar a nossa tese temos conhecimento de um caso em que o exame pericial foi realizado em condições reais de queda o laudo pericial apontou claramente para a ocorrência de disparo acidental no armamento TAURUS pela queda sem o acionamento do gatilho.